Aqui, partilho afectos.
E escrevo o que penso, do que gosto, do que me inspira.


terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Metamorfose

Metamorfose

Para a  minha alma eu queria
Uma torre como esta,
Assim alta,
Assim de névoa
Acompanhando o rio.
Estou tão londe da margem
Que as pessoas passam
E as luzes se reflectem na água.
E contudo, a margem
Não pertence ao rio
Nem o rio está em mim
Como a torre estaria
Se eu a soubesse ter...
Uma luz desce o rio
Gente passa e não sabe
Que eu quero
Uma torre tão alta
Que as aves não passem,
As nuvens não passem.
Tão alta, tão alta
Que a solidão
Possa tornar-se humana.
(Jorge de Sena)

Sem comentários:

Enviar um comentário