Aqui, partilho afectos.
E escrevo o que penso, do que gosto, do que me inspira.


sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Há sem dúvida quem ame o infinito,
Há sem dúvida quem deseje o impossível,
Há sem dúvida quem não queira nada,
Três tipos de idealistas,
E eu nenhum deles.
Porque eu, amo infinitamente o finito,
Porque eu desejo impossivelmente o possível,
Porque quero tudo,
Ou um pouco mais, se puder ser,
Ou até se não puder ser...
(Álvaro de Campos)
Quadro de J. Requena Nozal – Naturaleza III

2 comentários:

  1. Querida amiga Lita, que poema lindo, estou levando ele comigo, pois "...eu, amo infinitamente o finito, eu desejo impossivelmente o possível,quero tudo, Ou um pouco mais, se puder ser, Ou até se não puder ser..."
    Te desejo um final de semana lindo.
    Beijos de canela.
    Lua.

    ResponderEliminar
  2. Querida amiga Lua, é realmente um poema lindo. Fico contente por você gostar e levar consigo. Beijinhos e um excelente fim de semana.

    ResponderEliminar