Aqui, partilho afectos.
E escrevo o que penso, do que gosto, do que me inspira.


quinta-feira, 29 de março de 2012

"É exatamente disso que a vida é feita, de momentos.
Momentos que temos que passar, sendo bons ou maus, para nossa própria aprendizagem, e nunca esquecendo do mais importante: nada nesta vida é por acaso. Absolutamente nada. Por isso, temos que nos preocupar em fazer a nossa parte, da melhor forma possível.
A vida nem sempre segue a nossa vontade, mas ela é perfeita naquilo que tem que ser."

Chico Xavier
Pintura de Wilma Barsotti
“A alma é uma borboleta... há um instante em que uma voz nos diz que chegou o momento de uma grande metamorfose...”
Rubem Alves / Pintura de Millani
 

quarta-feira, 28 de março de 2012

Uma ida ao baile


Tinha enfrentado muitas situações duras nos últimos tempos, não tinha vontade de nada, e muito menos sair para ir a um baile.
A Clara insistia:
- Tens que vir comigo, vai lá estar Paris inteiro!
- Ah, Paris inteiro, pensou ela,  que me importa quem vai ou não lá estar...
Desde que a Lulu desapareceu naquela fatídica manhã de Março, em que abriu a janela do quarto para entrar um pouco de ar primaveril, a vida de Julieta tinha mudado completamente. Como era possível que um serzinho tão pequeno e tão quieto pudesse preencher tantos espaços, encher uma casa?
Lulu era uma gatinha branca adorável, meiguinha, tranquila, inteligente... Tinha tantas saudades dela... Julieta lembrava-se como se fosse ontem, quando a encontrou depositada num cestinho na porta da sua casa. Era tão pequenina... tornou-se o centro da sua atenção, a sua companhia.
Como podia pensar em sair para se divertir, quando o seu coração estava tão triste? Mas, também não queria magoar Clara, a sua melhor amiga, a sua confidente de todos os bons e maus momentos.
- Está bem, amiga, vamos lá ao famoso Baile no Moulin de la Galette.
Começou a arranjar-se, continuava coquette, apesar dos seus quase trinta anos, e quando terminou, gostou de se ver ao espelho.
Já estava atrasada e ao olhar pela janela, viu Clara, que esperava impaciente junto ao portão de entrada da sua casa.
- Clara, acredita que só venho por ti.
- Está bem, vamos, e pode ser que algo de bom te aconteça esta noite.
Como se eu acreditasse em milagres, pensou Julieta.
Ao chegarem, já havia muita gente. Julieta sentia-se incomodada. Pela multidão, pelo calor... Sentou-se num banco e pediu uma limonada ao rapaz que passava com a bandeja. Enquanto saboreava o agradável refresco, olhou o céu tão bonito e estrelado, as árvores.... e de repente:
- Clara, o que é que se está a mover naquele ramo de árvore?
- Onde? Que dizes? Não vejo nada.
- Clara, disse pondo-se de pé, é a Lulu!
- A Lulu? Mas como? A Lulu, como pode ser?
Clara já não ouviu, correu para junto da árvore, onde num ramo alto, estava Lulu muito assustada.
- Lulu! Lulu! Alguém me ajude a tirar a minha gatinha ali de cima!
Foram vários os cavalheiros que se ofereceram para salvar a Lulu, que num instante se viu nos braços da sua dona. Julieta não cabia em si de contente. Afinal, estava mesmo agradecida a Clara por ter insistido para que fosse ao baile. Tinha mesmo acontecido algo de bom, um milagre...

(Texto escrito para a  Fábrica de Histórias http://fabricadehistorias.blogs.sapo.pt/78471.html)

domingo, 25 de março de 2012

A alma é um cenário. Por vezes, ela é como uma manhã brilhante e fresca, inundada de alegria. Por vezes, ela é como um pôr do sol, triste e nostálgico. A vida é assim. Mas, se é manhã brilhante o tempo todo, alguma coisa está errada. Tristeza é preciso. A tristeza torna as pessoas mais ternas. Se é crepúsculo o tempo todo, alguma coisa não está bem. Alegria é preciso. Alegria é a chama que dá vontade de viver.

Rubem Alves, in "Se eu pudesse viver minha vida novamente..."
Pintura de Wilma Barsotti

sábado, 24 de março de 2012

"A vida é breve, mas cabe nela muito mais do que somos capazes de viver..."

José Saramago
Pintura de Edouard Leon Cortés - Jardins des Tuilleries

sexta-feira, 23 de março de 2012

(...)
"- É o que lhe digo. O mar tem jardins... jardins cheios de búzios, corais e concheiros... A areia é lá tão fina como o pó do oiro. As árvores são maiores que pinheiros velhos e os peixes andam de galho em galho, como aqui os pássaros. Como sei? Ora sei, porque sei. Há coisas que a gente sabe com o coração, sem precisar de as ver."
(..)
Luísa Dacosta, A-Ver-O-Mar, Crónicas
Pintura de Vladimir Volegov

terça-feira, 20 de março de 2012

Trago dentro do meu coração,
Como num cofre que se não pode fechar de cheio,
Todos os lugares onde estive,
Todos os portos a que cheguei,
Todas as paisagens que vi através de janelas ou vigias,
Ou de tombadilhos, sonhando,
E tudo isso, que é tanto, é pouco para o que eu quero.
(…)

António Gedeão
Pintura de Jacqueline Penney

Bar Hemingway - Hotel Ritz, Paris

Em Paris, no nº 15 da Place Vendôme, fica um dos Hotéis mais elegantes e sofisticados da cidade: o Ritz.
O edício do Hotel foi construído no Séc. XVIII como um domicílio privado e, depois, transformado num Hotel de luxo, preferido por muitos famosos. Coco Chanel viveu no Ritz durante mais de 30 anos.
Dentro do hotel existem vários bares e restaurantes. Um deles é o
 Hemingway Bar, cujo nome rende homenagem ao escritor Ernest Hemingway, frequentador assíduo do bar.
O bar Hemingway tem um ambiente acolhedor. As paredes são revestidas em madeira nobre e as poltronas são de couro. Vinte e cinco fotografias tiradas pelo autor de "Adeus às Armas" e "Por Quem os Sinos Dobram", e um pequeno busto em bronze, completam uma parte da homenagem, porque para a completar, na ementa constam os uísques que ele preferia, além de cervejas do todo o mundo, e tapas espanholas, que lembram a passagem de Hemingway por Espanha durante a Guerra Civil.

segunda-feira, 19 de março de 2012

Coisas do Mar e da Terra

“No dia seguinte, logo de manhã, o rapaz foi ao seu jardim e colheu uma rosa encarnada muito perfumada. Foi para a praia e procurou o lugar da véspera.
- Bom dia, bom dia, bom dia - disseram a Menina, o polvo, o caranguejo e o peixe.
- Bom dia - disse o rapaz. E ajoelhou-se na água, em frente da Menina do Mar.
- Trago-te aqui uma flor da terra -disse; chama-se rosa.
- É linda, é linda disse a Menina do Mar, dando palmas de alegria e correndo e saltando em roda da rosa.
- Respira o seu cheiro para veres como é perfumada.
A Menina pôs a cabeça dentro do cálice da rosa e respirou longamente. Depois levantou a cabeça e disse suspirando:
- É um perfume maravilhoso. No mar não há perfume assim. Mas estou tonta e um bocadinho triste. As coisas da terra são esquisitas. São diferentes das coisas do mar. No mar há monstros e perigos, mas as coisas bonitas são alegres. Na terra há tristeza dentro das coisas bonitas.
- Isso é por causa da saudade - disse o rapaz.
- Mas o que é a saudade perguntou a Menina do Mar.
- A saudade é a tristeza que fica em nós quando as coisas de que gostamos se vão embora.”

Sophia de Mello Breyner Andresen in “A Menina do Mar”
Pintura de Jacqueline Penney

domingo, 18 de março de 2012

"A gentileza é a essência do ser humano. Quem não é suficientemente gentil não é suficientemente humano."Joseph Joubert
Pintura de J.Requena Nozal

quarta-feira, 14 de março de 2012

Para Um Filho Muito Especial

Penso que devo ter feito algo de especial na minha vida para merecer um filho como tu.
Tu és o maior presente que a vida me ofereceu.
Obrigada por teres trazido alegria, felicidade e optimismo à minha vida.
Obrigada pelo teu carinho, pelos teus beijinhos, pelos teus abraços, por todas as tuas gentilezas.
Obrigada por existires! O que teria eu feito com o meu tempo se tu não existisses?
Toda a gente devia ter um filho... para receber um sorriso alegre quando o mundo é uma desilusão, para receber abraços inesperados, para amar.
O meu maior orgulho é o facto de seres um bom filho, um bom amigo, uma pessoa às direitas.
Tenho muito orgulho em ti – não tanto pelo que conseguiste, mas por continuares sensato, por seres carinhoso e gentil e pensares nos outros num mundo em que essas coisas parecem menos importantes do que vender a imagem certa. Seja qual for o teu caminho, sei que terás sucesso.
Obrigada por um Amor maior do que alguma vez imaginei.
Não posso sonhar os teus sonhos. Apenas dar-te a oportunidade de sonhares os teus – e fazer tudo o que puder para te ajudar a realizá-los.
Feliz Aniversário, Filho!

Pintura de Wilma Barsotti

segunda-feira, 12 de março de 2012

“Não é o mais forte que sobrevive. Nem o mais inteligente. Mas o que melhor se adapta às mudanças.”

Charles Darwin
Pintura de M.J. Marinho



Restaurante Pizza Pino

O Restaurante Pizza Pino, nos Champs Elysées, não é concerteza a melhor Pizzaria de Paris, mas é a preferida do meu filho, e local obrigatório para pelo menos um almoço ou jantar, sempre que vamos a Paris.
O serviço pode não ser dos melhores, mas tem uma localização excelente e, as pizzas são na realidade muito boas, com grande variedade. Também tem pratos de massa muito bons.
O Restaurante Pizza Pino tem dois andares e capacidade para 200 pessoas. Fica no nº 31/33 da Av. Champs Elysées e está aberto todos os dias das 11:30 h às 5:00 h.
http://www.pizzapino.fr/

domingo, 11 de março de 2012

"... Gosto muito do meu mundinho. Ele é cheio de surpresas, palavras soltas e cores misturadas. Às vezes tem um céu azul, outras tempestade. Lá dentro cabem sonhos de todos os tamanhos. Mas não cabe muita gente. Todas as pessoas que estão dentro dele não estão por acaso. São necessárias."
Caio F. Abreu
Pintura de Wilma Barsotti
"Quando os ventos de mudança sopram, umas pessoas levantam barreiras, outras constroem moinhos de vento..."
E. Veríssimo

sexta-feira, 9 de março de 2012

"...Sinto-me como aquele menino que recebeu uma bacia de cerejas.
As primeiras, ele chupou displicente, mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço.
Já não tenho tempo para lidar com mediocridades.
(...)
As pessoas não debatem conteúdos, apenas os rótulos.
Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos, quero a essência, minha alma tem pressa...
Sem muitas cerejas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana;
que sabe rir de seus tropeços, não se encanta com triunfos, não se considera eleita antes da hora, não foge de sua mortalidade. Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade.
O essencial faz a vida valer a pena e, para mim, basta o essencial!"


(Mário de Andrade, in “O valioso tempo dos maduros”
Foto da net

quinta-feira, 8 de março de 2012

Restaurante "Le Grand Colbert"


Perto da antiga casa dos meus pais, mais própriamente no nº 2 da Rue Vivienne, 75002 Paris, existe um restaurante centenário, o "Le Grand Colbert", do qual eu gosto muito. É um restaurante-brasserie que, sem ser glamouroso, tem uma excelente cozinha francesa tradicional. Eu nunca resisto à sopa de cebola gratinada. É simplesmente deliciosa. A decoração é muito bonita, com candeeiros e abat-jours da época, um balcão encantador e um chão de mosaicos lindo.
Neste restaurante foram rodadas algumas cenas do filme "Alguém tem que ceder" (Something's Gotta Give), com Jack Nicholson e Diane Keaton.

8 de Março - Dia Internacional da Mulher

O Dia Internacional da Mulher, celebrado a 8 de março, tem como origem as manifestações das mulheres russas por melhores condições de vida e trabalho e contra a entrada do seu país na Primeira Guerra Mundial. Essas manifestações marcaram o início da Revolução de 1917. Entretanto a ideia de celebrar um dia da mulher já havia surgido desde os primeiros anos do século XX, nos Estados Unidos e na Europa, no contexto das lutas de mulheres por melhores condições de vida e trabalho, bem como pelo direito de voto.
No Ocidente, o Dia Internacional da Mulher foi comemorado no início do século, até à década de 1920.
Na antiga União Soviética, durante o stalinismo, o Dia Internacional da Mulher tornou-se elemento de propaganda partidária.
Nos países ocidentais, a data foi esquecida por longo tempo e sòmente recuperada pelo movimento feminista, já na década de 1960. Na actualidade, a celebração do Dia Internacional da Mulher perdeu parcialmente o seu sentido original, adquirindo um carácter festivo e comercial. Nessa data, os empregadores, sem certamente pretender evocar o espírito das operárias grevistas do 8 de março de 1917, costumam distribuir rosas vermelhas ou pequenos mimos entre as suas empregadas.
Em 1975, foi designado pela ONU como o Ano Internacional da Mulher e, em Dezembro de 1977, o Dia Internacional da Mulher foi adoptado pelas Nações Unidas, para lembrar as conquistas sociais, políticas e económicas das mulheres.
Fonte: Wikipedia
Foto da net

segunda-feira, 5 de março de 2012

“Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba. Não ame por admiração, pois um dia acabará por se decepcionar. Ame apenas, pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicação.”
Madre Teresa de Calcutá
Pintura de Wilma Barsotti

Hotel Napoléon Paris

Adoro Hoteis com História, pois sou uma apaixonada por História.... Gosto de imaginar quem esteve neste ou naquele lugar... O Hotel Napoléon atrai-me imenso, talvez pelas histórias fantásticas que as suas paredes teriam para contar... Foi construído em 1920 e oferecido como prenda de casamento por um rico empresário russo a uma jovem francesa, pela qual estava perdidamente apaixonado. Destinado a receber ilustres convidados da alta sociedade da época, o Hotel, cruzando duas culturas continuou, ao longo da sua História, a melhorar a sua decoração, que se foi transmitindo de geração em geração. Movido pelo gosto artístico dos proprietários, o Hotel Napoléon soube atravessar o tempo mantendo sempre o charme, a qualidade do serviço, e a atmosfera acolhedora que sempre o caracterizou. Foi sempre um Hotel de prestígio, com uma excelente localização, pois fica a dois passos do Arco do Triunfo, tendo tido ao longo da sua História clientes célebres como Errol Flyn, Ernest Hemingway, Joséphine Baker, Jean Gabin, Salvador Dali, entre outros.

O Hotel Napoleon Paris é um Hotel de 4 estrelas e fica situado no nº 40 da Avenue de Friedland, 75008 Paris

sábado, 3 de março de 2012

"Quero viver o dia de hoje, como se fosse o primeiro... Como se fosse o último... Como se fosse o único... Quero viver o momento de agora, como se ainda fosse cedo, como se nunca fosse tarde..."

F. Faustine

sexta-feira, 2 de março de 2012

"Vivemos num individualismo muito cru. As pessoas são levadas a acreditar que a promoção do conforto físico e das aparências é o que mais conta. Existe uma desvalorização do conforto afectivo e moral. Existe a ideia errada de que podemos ser felizes sozinhos ou, pior ainda, contra os outros."

José Luis Peixoto in Diário de Notícias (2007)
Pintura de Berthe Morisot

Carlos Sousa

O meu amigo de infância Carlos Sousa pinta como ninguém o Alentejo. Mas não só. O Carlos é um excelente pintor e pinta qualquer paisagem, retrato, etc. Conheço-o desde sempre. Crescemos juntos, andamos juntos na escola primária. Sempre o admirei, pela sua maneira de ser, pelo seu talento. Hoje, presto-lhe uma pequena homenagem. Este quadro, pintado por ele, está na parede de um pequeno café em Galveias (Retiro da Fonte), e representa... a fonte de Galveias.
“Farei o possível para não amar demais as pessoas, sobretudo por causa das pessoas. Às vezes o amor que se dá pesa, quase como uma responsabilidade na pessoa que o recebe. Eu tenho essa tendência geral para exagerar, e resolvi tentar não exigir dos outros senão o mínimo. É uma forma de paz...”

Clarice Lispector
Pintura de Renoir – Bouquet de Fleurs

O Quarto da Rainha - Vol. 1 - O Segredo de Estado

Como já aqui mencionei, adoro romances históricos e Juliette Benzoni é uma das minhas escritoras francesas preferidas. “O Quarto da Rainha” é o 1º volume da triologia “Segredo de Estado”, que decorre em França, nos reinados de Henri IV, Louis XIII e Louis XIV,  a que se seguem "O Rei do Mercado" e "O Prisioneiro da Máscara de Veludo". Uma obra cativante e muito agradável de ler.
O Quarto da Rainha -
Sinopse
Sylvie de Valaines, com quatro anos de idade, foi encontrada de noite, no meio de uma  floresta, vestida com uma camisa manchada de sangue e agarrando uma boneca contra o peito. A sua família acabara de ser assassinada, possivelmente às ordens do cardeal Richelieu, com o intuito de recuperar umas cartas comprometedoras. Levada para o castelo de Anet por um dos netos do rei Henrique IV, o príncipe François de Martigues, a menina cresce no seio da Corte, protegida pelos Vêndome, e aos quinze anos torna-se uma das aias da rainha Ana de Áustria, mulher de Luís XIII. Sem querer, Sylvie irá partilhar o perigoso segredo do nascimento do futuro Luís XIV, e enfrentar forças poderosas como o rei Luís XIII, o sinistro e tenebroso cardeal Richelieu, mas também o sádico assassino da sua mãe.

quinta-feira, 1 de março de 2012

"Não há nenhum fim. Não há nenhum começo. Há somente a paixão pela vida."

Federico Fellini
Imagem da net

Selinho ganho

Ganhei este selinho do blog da minha irmã http://otapetecolorido.blogspot.com/
Visitem, vale a pena. Agora a regra é repassar este selinho para 10 blogues amigos.
1- http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/
2 -http://aquisoentramgatos.blogspot.com/
3 -http://mude.blogspot.com
4 -http://naturezadeluanegra.blogspot.com/

Eras tu a claridade

O tempo, subitamente solto
pelas ruas e pelos dias,
como a onda de uma tempestade
a arrastar o mundo,
mostra-me o quanto te amei
antes de te conhecer.
Eram os teus olhos,
labirintos de água,
terra, fogo, ar,
que eu amava
quando imaginava que amava.
Era a tua voz que dizia
as palavras da vida.
Era o teu rosto.
Era a tua pele.
Antes de te conhecer,
existias nas árvores
e nos montes e nas nuvens
que olhava ao fim da tarde.
Muito longe de mim,
dentro de mim,
eras tu a claridade.
José Luís Peixoto
Pintura de Renoir