Aqui, partilho afectos.
E escrevo o que penso, do que gosto, do que me inspira.


segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

FELIZ ANO NOVO!

 
Dentro de algumas horas, como se fosse um combóio, um Ano Novo vai chegar a esta estação. Nem todos vão poder ser maquinistas, por isso tentem ser os seu mais divertidos passageiros. Procurem lugares junto às janelas e desfrutem as paisagens com o prazer de quem realiza a primeira viagem. Não se assustem com os abismos, nem com as curvas que não deixam ver os caminhos que estão por vir. Procurem desfrutar a viagem da vida, observando arbustos, flores, lagos, rios, e os tons distintos da paisagem. Desdobrem mapas e planeiem roteiros. Prestem atenção a cada paragem, e fiquem atentos ao apito da partida. E quando decidirem descer na estação onde a esperança lhes acena, não hesitem, desembarquem nela juntamente com os vossos sonhos, pois viver é a única coisa que não podem deixar para depois. Desejo que a vossa viagem pelos dias de 2013, seja de Primeira Classe!
FELIZ ANO NOVO! BONNE ANNÉE! HAPPY NEW YEAR! FELIZ AÑO NUEVO! FELICE ANNO NUOVO! KURISUMASU OMEDETO! AN NOU FERICIT! SHCHASTLYVOHO NOVOHO ROKU!

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

A Cúpula das Galeries Lafayette


As Galeries Lafayette celebram este ano os 100 anos da sua famosa cúpula, símbolo da arquitectura Art Nouveau. Construída pelo arquitecto Ferdinand Chanut e pelo mestre vidreiro Jacques Grubern em 1912, a cúpula do edifício das Galeries Lafayette é uma verdadeira obra de arte. Culminando em 33 metros, tem dez feixes de vitrais pintados, presos numa estrutura metálica esculpida com motivos florais. Em cada andar, os parapeitos das varandas estão ornamentados com folhagens e ferragens douradas.
Neste momento o espaço central sob a cúpula está decorado com uma impressionante Árvore de Natal iluminada e com cristais Swarovsky.
As Galeries Lafayette apresentam até dia 26 de Janeiro na sua Galeria do 1º andar, uma exposição denominada “1912-2012, Crónicas de um Percurso Criativo”, organizado pelas Galeries e aberta ao público, com ilustrações, cartazes, e vitrines da época, que nos contam a História das Galeries Lafayette, incluindo a construção da cúpula.

Galeries Lafayette Haussmann
40, bd Haussmann
75009 PARIS

(fotos da net)


 

O Presépio de Notre-Dame

 
O Presépio da Catedral de Notre-Dame é um dos mais belos de Paris, e pode ser visitado até dia 27 de Janeiro de 2013. É um Presépio excepcional, por ocasião do jubileu dos 850 anos da Catedral. Um enorme Presépio siciliano animado, com mais de 25 m quadrados, concebido por um mestre artesão de renome, da cidade de Caltagirone, em Itália, sob a direcção artistica de Michele Salvetteri, arquitecto. Um conjunto decorativo em pedra, madeira e outros materias, que reproduzem cenas da vida rural, segundo a tradição dos Presépios sicilianos. Nele podemos descobrir o modo de vida típico da região de Caltagirone no séc. XVIII, com lagos, pontes, vegetação, colinas e efeitos de luz recreando as paisagens campestres da Sicília. As personagens animadas foram concebidas segundo as técnicas de elaboração no séc.XIX. Este Presépio é o segundo no mundo, em argila e animado.
Ao pé do Presépio foi colocada uma enorme caixa transparente na qual os visitantes, podem deixar uma mensagem de Paz.
Imagem retirada de: evous.fr

domingo, 23 de dezembro de 2012

O meu Natal

 
Dezembro sempre teve para mim, um encanto muito especial... Sempre gostei do Natal. Não do Natal das prendas obrigatórias e excessivas, do consumismo desenfreado, mas sim o Natal tranquilo, doce... E infalivelmente vem-me à memória o Natal da minha infância, cheio de cor, cheiros e alegria.
A árvore de Natal era um pinheiro arrendondado verdadeiro, com o seu cheiro característico, e do qual pendiam bolas coloridas, chocolates em forma de bolas, carrinhos, chapéus de chuva, pais natal, palhacinhos, e umas fitas lindas e cheias de cor. E o presépio... preparar o presépio era o ritual que eu mais gostava. Íamos com o Avô buscar o musgo ao campo, e este era colocado em cestinhos que cada qual levava para depois ser distribuído pela mesa do presépio, onde juntos construíamos a nossa história do Natal, com imensas figurinhas.
A avó, a minha mãe e a minha tia preparavam as refeições e os doces, que eu adorava. Grandes quantidades de filhozes, belhozes, azevias de grão, arroz doce, pudim de mel, nógado... que saudades!
Na minha infância, o Pai Natal ainda cá não vinha. Quem trazia as prendas era o Menino Jesus, que descia na noite de Natal pela chaminé e deixava as prendas nos sapatinhos que lá tinhamos colocado antes de nos irmos deitar. Na manhã do Dia de Natal, mal nos levantávamos íamos logo ver as prendinhas, e ficávamos sempre tão felizes...
As prendinhas eram simbólicas, um chocolatinho, um brinquedo, uma medalhinha em ouro, mas sempre recebidas com sorrisos enormes e alegria.
O meu avô, o meu pai e a minha tia, já há algum tempo que nos deixaram. A minha avó sofreu um avc a semana passada e está hospitalizada. E é para ela que vai o meu melhor desejo este Natal.
Já não quero prendas, quero afectos, quero amor, quero carinho, quero ter sempre junto de mim quem eu mais amo nesta vida.
O meu Natal agora é feito de carinho, de ternura, e doces... FELIZ NATAL!!!

Pintura de Anne Mortimer




quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Librairie des Jardins, uma Livraria nas Tuileries


No “Jardin des Tuileries”, do lado da Place de la Concorde, a dois passos do monumento em homenagem a um dos mais célebres jardineiros, André Lenôtre, encontra-se a  "Librairie des jardins" (Livraria dos Jardins).
Como o seu nome indica, a loja vende principalmente obras consagradas às plantas, frutas, legumes, ervas, parques, jardins e florestas, ou seja, ao reino vegetal e à arte de o cuidar ou embelezar. Livraria especializada, mas acessível ao grande público, demarca-se pelas suas paredes de pedra e a sua abóboda, que lhe conferem um charme bastante peculiar.
A Livraria estende-se num espaço restrito mas bem fornecido, que conta também com recantos para as crianças, com livros e brinquedos e alguns objectos de decoração de interior e exterior.
É o lugar ideal para encontrar um presente para os amadores da natureza, mas também para quem deseje conhecer melhor os espaços verdes de Paris, pois aqui podemos encontrar variadíssimos guias sobre os parques, jardins e bosques parisienses.
 
 
Librairie des Jardins
Jardin des Tuileries, Place de la Concorde, 75001 Paris
Horário: Aberto todos os dias, das 10 às 19h.


quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Expectativas



Hoje, decidi deixar de ter expectativas. De tudo. De todos. Deixar de esperar que as coisas sejam desta maneira ou daquela. Deixar de esperar que as pessoas sejam assim ou assado. Deixar de fazer filmes, de criar ilusões.
A partir de hoje, quero prescindir de ter expectativas em relação à vida. A partir deste momento, não quero esperar mais nada dela. E, seja o que for que a vida me dê, agradecerei.
Também quero prescindir de ter expectativas em relação às pessoas. Assim, se falharem comigo, fico tranquila, pois não esperava nada. Então, se as pessoas forem dóceis, sinceras e carinhosas, se forem amigas, cúmplices e companheiras, como não estava à espera de nada, ficarei grata por isso.
Penso que o ser humano tem expectativas a mais, por isso tem  mais decepções que alegrias, sente mais ressentimentos que gratidão, e  uma alma sem gratidão não vai absolutamente a lado nenhum.

Pintura de Garmash


domingo, 9 de dezembro de 2012


No fundo, é isto a solidão: envolvermo-nos no casulo da nossa alma, fazermo-nos crisálida e aguardarmos a metamorfose, porque ela acaba sempre por chegar.

August Strindberg
Pintura de Geoffrey Tristram
 

A Pastelaria Versailles


 
A Pastelaria Versailles, em Lisboa, fez recentemente 90 anos, e continua elegante como sempre. Conheço a Versailles desde sempre, desde pequenina que a frequento, e é a minha preferida. Como manda a etiqueta, na Versailles os empregados estão vestidos a rigor, com camisa branca, colete cinzento, laço preto e avental branco comprido, e são uma simpatia. Nas paredes, armários-vitrine em madeira, fabulosos, e espelhos enormes, trabalhados, tal como os tectos, dos quais pendem uns lustres lindíssimos. A pastelaria tem uma grande variedade de bolos, biscoitos e salgados e, para além de um excelente café e vários tipos de chá, tem um magnífico chocolate quente nas suas várias versões: normal, à francesa (com mais leite) ou à espanhola (muito espesso). Também tem serviço de restaurante, de qualidade irrepreensível.

Pastelaria Versailles
Avenida da República 15A, Lisboa



 

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Afinidade



Afinidade é não haver tempo mediando a vida. É uma vitória do adivinhado sobre o real. Do subjectivo para o objectivo. Do permanente sobre o passageiro. Do básico sobre o superficial. Ter afinidade é muito raro. Mas quando existe não precisa de códigos verbais para se manifestar. Ter afinidade é conversar no silêncio, tanto das possibilidades exercidas, quanto das impossibilidades vividas.

Artur de Távola
Pintura de Willem Haenraest

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012



Não sei se estou perto ou longe, se o meu rumo é certo ou errado. Sei apenas que sigo em frente, que vivo dias iguais de forma diferente. Não caminho sozinha, levo comigo cada recordação, cada vivência, cada lição. E, mesmo que as coisas não andem da forma que eu gostaria, saber que já não sou a mesma de ontem,  faz-me perceber que valeu a pena.

Pintura de Daniel Gerhartz