Aqui, partilho afectos.
E escrevo o que penso, do que gosto, do que me inspira.


terça-feira, 30 de julho de 2013

A Esperança


Lá bem no alto do décimo segundo andar do ano,
Vive uma louca chamada Esperança.
E ela pensa que quando todas as sirenas,
Todas as buzinas,
Todos os reco-recos tocarem,
Atira-se 
— Ó delicioso vôo!
Ela será encontrada
miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá (É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho,
para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA.

Mário Quintana
Pintura de Mary J. Cross


5 comentários:

  1. Lindo e Quintana é maravilhoso sempre! beijos,chica

    ResponderEliminar
  2. Um lindo poema. A esperança deve estar sempre viva em todos os corações.
    Beijos.

    ResponderEliminar
  3. Esperança!Essa palavra nunca deverá morrer e sim
    avivar uma luz em nossas vidas.

    bjs amiga Lita e obrigada da visita.

    Carmen Lúcia-mamymilu.blogspot.com

    ResponderEliminar
  4. Muito lindo Lita, adorei, bjs e uma semana linda p/ vc, Ana ;).

    ResponderEliminar
  5. Esperança uma palavra linda e para mim infinita.
    Te desejo nesse dia muita fartura, muita felicidade, muita saúde em sua vida e em seu lar amiga querida.
    Beijinhos de luz.
    Lua

    ResponderEliminar