Aqui, partilho afectos.
E escrevo o que penso, do que gosto, do que me inspira.


terça-feira, 30 de julho de 2013

A Esperança


Lá bem no alto do décimo segundo andar do ano,
Vive uma louca chamada Esperança.
E ela pensa que quando todas as sirenas,
Todas as buzinas,
Todos os reco-recos tocarem,
Atira-se 
— Ó delicioso vôo!
Ela será encontrada
miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá (É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho,
para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA.

Mário Quintana
Pintura de Mary J. Cross


domingo, 21 de julho de 2013


 
Apesar de alguns pesares, dos dias difíceis, de caminhos contrários e por vezes tortuosos, o privilégio de existir continua a fazer da minha vida a maior dádiva que já recebi.

Erick Tozzo
Pintura de Garmash


quarta-feira, 10 de julho de 2013

O Elevador de Santa Justa, em Lisboa

O elevador de Santa Justa, também conhecido como elevador do Carmo, foi inaugurado em Julho de 1902. O projecto é de Raoul Mesnier du Ponsard, um engenheiro natural do Porto, e  de ascendência francesa. Este engenheiro estudou em França e foi contemporâneo de Gustave Eiffel, o grande mestre da arquitectura do ferro característica da revolução industrial. O elevador de Santa Justa, com 45 metros de altura e integralmente construído em ferro forjado, faz a ligação entre a rua do Ouro e o largo do Carmo. Apresenta-se em estilo neo-gótico, com decorações em filigrana e foi classificado como monumento nacional em 2002.
Este é um dos quatro elevadores públicos em funcionamento em Lisboa, com os do Lavra, Glória e Bica, mas é o único vertical. Movido inicialmente a vapor, passou a ser accionado por energia eléctrica em 1907. O transporte de passageiros é feito por duas elegantes cabines de madeira com acessórios em latão, cada uma com capacidade para 20 pessoas. A ascenção por estas cabines dá acesso a um passadiço de 25 metros, que leva os passageiros até ao largo do Carmo. Este passadiço esteve fechado após o grande incêndio do Chiado em 1988, mas foi reaberto em 2005. Para além de ser um monumento único em Lisboa, o elevador de Santa Justa é também um fantástico miradouro sobre a cidade.
O terraço é alcançável através de uma apertada escada em caracol e oferece uma vista panorâmica para o Castelo de São Jorge, a praça do Rossio e a zona da Baixa. Este elevador funciona todos os dias das 7h00 às 22h00, estendendo o horário de funcionamento no verão, até às 23h00. A bilheteira inferior localiza-se por trás da torre de ferro, debaixo dos degraus da rua do Carmo. O bilhete é válido para duas viagens e inclui o acesso ao miradouro. Também é possível subir apenas ao miradouro, todos os dias das 8h30 às 20h30 (o bilhete custa 1,50 euros), mas preparem-se para as filas de turistas que continuamente se formam nas entradas deste Elevador. Há um restaurante italiano que funciona no passadiço de acesso ao largo do Carmo, o Bella Lisa Elevador.

Fonte: www.ezimut.com





segunda-feira, 1 de julho de 2013

Ternura


Ternura é aquele afecto brando, que no amor nos leva a dar mais do que receber…

Manuel Bandeira

Pintura de Natalia Bryliova