Aqui, partilho afectos.
E escrevo o que penso, do que gosto, do que me inspira.


segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Feliz 2014!!!


Para todos, desejo o sonho realizado. O amor esperado. A esperança renovada.
Desejo todas as cores desta vida. Todas as alegrias que vos façam sorrir. Todas as músicas que vos façam emocionar. Desejo-vos amigos mais cúmplices, e que a vossa família fique mais unida, que a vossa vida seja mais bem vivida.
Gostaria de vos desejar tantas coisas, mas nada seria suficiente... 
Então, desejo-vos apenas que tenham muitos desejos. Desejos grandes, e que eles vos possam mover, a cada minuto, rumo à felicidade.

Carlos Drummond de Andrade (com adaptação minha)
Imagem retirada da net


Feliz Ano Novo a todos os meus amigos, e também a quem por aqui passa e perde um pouco do seu tempo a ler o que vou escrevendo..

quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Feliz Natal!

 
Hoje é Dia de Natal. E o Natal, é uma época de benevolência, perdão, generosidade e alegria. A única época que conheço, no calendário do ano, em que as pessoas parecem, de comum acordo, abrir livremente os seus corações. E no ar fica um clima diferente, que aquece, que conforta.
Hoje, festejamos o nascimento de Jesus. E desejo a todos um Feliz Natal!

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

O pinheiro de Natal


Conta a história que na noite de Natal, junto ao presépio, se encontravam três árvores: uma tamareira, uma oliveira e um pinheiro.
As três árvores ao verem Jesus nascer, quiseram oferecer-lhe um presente. A oliveira foi a primeira a oferecer, dando ao menino Jesus as suas azeitonas. A tamareira, logo a seguir, ofereceu-lhe as suas doces tâmaras. Mas o pinheiro como não tinha nada para oferecer, ficou muito infeliz.
As estrelas do céu, vendo a tristeza do pinheiro, que nada tinha para dar ao menino Jesus, decidiram descer e pousar sobre os seus ramos, iluminando e adornando o pinheiro, que assim se ofereceu, cheio de alegria, ao menino Jesus.


(imagem retirada da net)

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

A um ti que eu inventei


Pensar em ti é coisa delicada.
É um diluir de tinta espessa e farta
e o passá-la em finíssima aguada
com um pincel de marta.

Um pesar grãos de nada em mínima balança,
um armar de arames cauteloso e atento,
um proteger a chama contra o vento,
pentear cabelinhos de criança.

Um desembaraçar de linhas de costura,
um correr lã que ninguém saiba e oiça,
um planar de gaivota como um lábio a sorrir.

Penso em ti com tamanha ternura
como se fosses vidro ou película de loiça,
que apenas com o pensar te pudesses partir.


António Gedeão, in “Poesia Completa”
Pintura de Hans Heyerdahl