Aqui, partilho afectos.
E escrevo o que penso, do que gosto, do que me inspira.


segunda-feira, 12 de maio de 2014

Às vezes em sonho triste


Às vezes, em sonho triste
Nos meus desejos existe
Longinquamente um país
Onde ser feliz consiste
Apenas em ser feliz.
Vive-se como se nasce
Sem o querer nem saber.
Nessa ilusão de viver
O tempo morre e renasce
Sem que o sintamos correr.
O sentir e o desejar
São banidos dessa terra.
O amor não é amor
Nesse país por onde erra
Meu longínquo divagar.
Nem se sonha nem se vive:
É uma infância sem fim.
Parece que se revive
Tão suave é viver assim
Nesse impossível jardim.

Fernando  Pessoa
Pintura de Kathy Fincher


9 comentários:

  1. Poesia linda e sempre atual! beijos,linda semana,chica

    ResponderEliminar
  2. Ah sonhos que não tem explicações!
    Lindo amiga Lita
    bjs
    Carmen Lúcia.

    ResponderEliminar
  3. Fui apresentada a Fernando Pessoa ainda era uma menina de tranças e ele me ajudou e muito a amar poesia e esta é simplemente pura, doce, suave, amoooo.
    Linda escolha querida amiga Lita, beijinhos no coração.

    ResponderEliminar
  4. Que lindo Lita, amei a gravura, muito inspirador, bjs e uma linda semana, Ana ♥...

    ResponderEliminar
  5. Que post mais lindo e delicado Lita!!!
    Como amo Fernando Pessoa ;)

    Uma semana linda para vc!

    Nanda

    ResponderEliminar
  6. Quanta realidade tão tristemente actual, Lita.
    Triste até no ar indistinto da criança neste lindo quadro. Mas esperemos que juntamente com a idade, tudo cresça e renasça
    beijinho meu

    ResponderEliminar
  7. Que lindo, Lita, como sempre um mimo!
    Querida, uma linda semana pra vc!
    Beijos

    ResponderEliminar


  8. Lita,

    falando em sonho, rsss... hoje praticamente caí da cama com um susto que tomei no sonho! acordei ate meu cachorro e disse a ele ficar calmo e voltar a dormir! lol

    Bom final de semana!
    Bjs

    ResponderEliminar